Cultivar plantas dentro de casa

May 11, 2017

 

Cultivar plantas é uma arte, elas alegram e dão mais beleza e vida a qualquer ambiente. Quem tem um jardim em casa, sabe muito bem disso. Mas todo o cuidado do mundo é pouco para vermos as pequenas florirem ou ficarem fortes e embelezando o nosso ambiente. Seja na cozinha, com temperos, na sala, com flores ou em qualquer outro ambiente do lar que você costume relaxar, a companhia das plantas é sempre prazerosa e relaxante. Além de esteticamente prazeroso, as plantas no ambiente interno ajudam a filtrar o ar, deixando o local mais fresco e perfumado, já que a absorção do gás carbônico também é uma função das plantas.

 

Mas para mantê-las dentro dos imóveis é preciso ter cuidados especiais e saber escolher as espécies que mais se adaptam aos ambientes internos. A instalação das plantas deve ser feita em áreas que recebam iluminação natural, ainda que elas sejam destinadas às áreas com sombra. A luz natural é essencial que estas plantas pratiquem a fotossíntese e cresçam fortes, evitando fungos e aumentando o tempo de vida das mesmas. Cuidados com a poda e rega devem ser tomados, assim como cuidados especiais conforme a época do ano. Respeitar cada estação e as mudanças climáticas específicas, mudando as plantas de local conforme a temperatura é essencial.

 

Separamos abaixo algumas espécies que se dão superbem em áreas internas e que são capazes de mudar o astral de qualquer ambiente. Algumas aguentam até ar-condicionado! Confira:

 

  • Cróton → Esta espécie chama a atenção por suas folhas coloridas e grandes. Brilhantes e um pouco retorcidas, elas surgem em tamanhos variados e podem mesclar tons de vermelho, roxo, rosa, branco, amarelo, verde ou laranja, formando lindas combinações. A folhagem exuberante somente será mantida se a planta receber bastante sol direto. Por isso, posicione o vaso próximo a uma janela. Dicas importantes: ela não se adapta a locais com ar condicionado; ao manipular a planta, utilize luvas, pois sua seiva pode provocar irritações na pele;

  • Orquídea → Campeã no uso interno, ela pede poucos cuidados. Por ser bastante delicada, é melhor escorar sua haste com um tutor. E vale a pena substituir os vasos de plástico pelos de barro, pois são porosos e drenam melhor a água. Deve ser cultivada à meia sombra, recebendo iluminação indireta. Preste atenção na coloração da folhagem: se estiver escura, mude a orquídea de local;

  • Palmeira-leque → Por apresentar um crescimento lento, é ótima para o cultivo em vasos. Mas é preciso colocá-la em ambientes amplos e bem iluminados. Suas folhas grandes, plissadas e com margem dentada, em um lindo tom de verde brilhante, chamam a atenção de quem passa. Para mantê-la saudável, remova as folhas velhas e secas e adube a espécie durante o verão. O reenvase a cada dois anos também faz parte dos cuidados necessários. Proteja-a de ventos fortes e do aparelho de ar-condicionado;

  • Samambaia → De coloração verde clara, apresenta folhas longas e pendentes, que costumam formar touceiras volumosas, demonstrando sua bela textura. Para tirar proveito dessas características, plante-a em vasos suspensos ou em um local alto. A iluminação ideal para cultivá-la é a meia sombra, mas ela também gosta de receber iluminação difusa. O vento é um dos seus maiores inimigos, pois acaba queimando as folhas mais jovens;

  • Suculentas → São plantas que apresentam raiz, talo ou folhas engrossadas, característica que permite o armazenamento de água durante períodos prolongados. Bastante fáceis de cuidar, elas costumam “avisar” do que precisam, basta prestar atenção aos detalhes. Se as folhas começarem a murchar, aumente gradativamente a quantidade de água; se as folhas da base começarem a apodrecer, diminua. Se ela ficar fina e perder muitas folhas, não está recebendo a quantidade necessária de luz. O ideal é proporcionar pelo menos quatro horas diárias de sol para que elas sobrevivam com saúde;

  • Luca → Com aspecto escultural, apresenta folhas longas, rígidas, pontiagudas e com bordas serrilhadas. Como em algumas palmeiras, as folhas mortas podem demorar a cair, formando uma saia sob a copa. Se envasada ainda jovem, adapta-se bem ao ambiente interno. Cuide somente para posicioná-la em um local com bastante claridade e ventilação. Depois de bem estabelecida, torna-se extremamente resistente. É importante evitar o excesso de água, pois provoca o apodrecimento das raízes;

  • Árvore-da-felicidade → Acredita-se que a presença dela na casa traz harmonia e sorte, mas para isso é preciso ganhar um exemplar de presente. Apresenta folhas pequenas, delicadas e de cor verde-escura. Para mantê-las bem escoradas, utilize tutores de madeira. Aceita sol pleno, meia sombra ou luz difusa, mas ficará mais viçosa e cheia em áreas bem iluminadas. Atenção: ela não tolera fumaça de cigarros, ar-condicionado ou vento em excesso;

  • Zamioculca → É um excelente curinga para corredores e locais com baixa luminosidade natural, onde outras plantas dificilmente sobreviveriam. Destaca-se pela beleza de suas folhas superbrilhantes, com o aspecto de cera, em tom de verde bem escuro. A espécie é tão resistente que continua linda mesmo em ambientes com ar-condicionado. Mas tome muito cuidado com a quantidade de água: é preferível deixá-la passar sede do que regar em excesso;

  • Lança-de-São-Jorge → Com folhas cilíndricas, rígidas e verticais, tem um visual bem ornamental. É muito resistente e adora ambientes internos à meia sombra, mas também vai bem quando cultivada sob sol pleno e luz difusa. Pede pouca água e suporta ambientes com ar-condicionado. Pode ser trançada, ganhando um aspecto ainda mais interessante. Como as folhas são pesadas, vale escorá-las com um tutor;

  • Peperômia → Folhagem pendente muito ornamental, de aspecto delicado. Suas folhas são suculentas e em formato de coração, geralmente em tons de verde com bordas amareladas ou brancas. Ótima para o plantio em jardins verticais ou vasos suspensos. Deve ser cultivada à meia sombra e aguenta até iluminação com luz florescente, sendo uma boa opção para escritórios.

  • Cacto → Ótima opção para quem não tem tempo ou jeito para cuidar de plantas, a espécie gosta de muitas horas de luminosidade direta e pouca água. Quanto mais sol seu cacto receber, mais robusto e bonito ele ficará. Quando plantado em vasos, ele estaciona seu crescimento ao perceber que o espaço acabou.

 

Fonte:

http://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Paisagismo/noticia/2016/05/13-plantas-para-cultivar-dentro-de-casa.html

https://www.homify.com.br/livros_de_ideias/243005/como-cultivar-plantas-dentro-de-casa

Compartilhar no Facebook
Share no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Conheça um pouco mais de Perdões, a cidade da amizade!

March 31, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes